Make your own free website on Tripod.com

Esqueleto humano de 7 metros

 

Um esqueleto humano de 7 metros de altura foi encontrado em Quito. Sabe-se somente que pertence ao sexo feminino, mas exames ainda não foram levantados para determinar a idade e autenticidade do material (parece existir algum interesse para que não seja completamente resolvido). Ele foi encontrado há quase 40 anos na provícia de Loja extremo sul do Equador. Foi mantido em segredo pelo padre Carlos Miguel Vaca. O local onde foi encontrado é chamado "Changaiminas" que significa Cemitério dos Deuses. Todo este tema foi abordado por um programa televisivo e divulgado aqui no Brasil pelo jornal Diário Popular (SP) em Outubro de 1996. Apesar de enviado para o Instituto Smithsoniano não temos nada mais à este respeito.

Sua existência, se autêntica, pode corroborar para as informações detalhadas nas inúmeras apresentações sobre gigantes que existiram na Terra. Exemplo: segundo a narrativa egípcia traduzida por Platão, estes eram na verdade filhos de Deus e teriam habitado a Terra com a obrigação de uma obediência permanente onde estava determinado entre outros, que não se misturassem com os "filhos dos homens". A sua desobediência teria sido determinante para a sua extinção. É interessante notar que a menção à este respeito não é uma novidade quando conhecemos e sabemos detalhes como o relato bíblico que trata do envio de batedores para expiar as terras de Canaã, está em Números capítulo 13 versículo 23: "Depois vieram até ao vale de Escol, e dali cortaram um ramo de vide com um cacho de uvas, o qual trouxeram dois homens sobre uma verga: como também romãs e figos"; versículo 28: "O povo porém que habita nessa terra é poderoso, e as cidades fortes e mui grandes, e também ali vimos os filhos de Enaque"; versículo 33: "Também vimos ali gigantes, filhos de Enaque, descendentes dos gigantes e éramos aos nossos olhos como gafanhotos, assim também éramos aos seus olhos."

A existência de um esqueleto humano com estas medidas pode contribuir para o esclarecimento em torno dos gigantes que teriam existido, pois apesar de estar mencionado em lendas gregas, maias, incas, astecas, entre outros, não temos além da menção porque segundo o próprio relato bíblico, eles teriam sido dizimados quando da conquista das terras de Canaã, assim como tudo o que existia de suas culturas. Isto está em Números capítulo 33, versículo 52: "Lançareis fora todos os moradores da terra diante de vós, e destruireis todas as suas figuras; também destruireis todas as suas imagens de fundição, e desfareis todos os seus altos."

A existência de um esqueleto em território americano, esclarece o fato de que as regiões verdadeiramente estivessem unidas no passado, como também fariam parte de um mesmo império, ou que os seus habitantes seriam muito próximos na genética, visto que a menção é feita sobre o norte do continente africano e o esqueleto encontrado está na América do Sul.

Quando sabemos que o relato de Platão trata de uma guerra travada entre atlantes e os povos que viviam na Europa, tendo sido os primeiros derrotados e expulsos, podemos compreender por qual motivo não existam materiais a seu respeito (povo atlante) em território europeu, mesmo sendo o sul da Europa até a Itãlia, um território atlante antes da destruição.

O nome Enaque é uma denominação que não tem origem egípcia, provavelmente grega, aramaica ou hebréia. Os nomes dos dez filhos de Poseidon (primeiro governante de Atlântida, pai de Atlas, governador-mor), eram: Atlas primogênito que governou sobre a ilha central onde se localizava o templo e o santuário à Poseidon, assim como a planície extensa e em forma quadriculada contornada por um fosso imenso com milhares de kilômetros de extensão. Seu irmão gêmeo era Gádiros, que em grego era denominado Eumelos, Da segunda geração vieram Amfares e Evaimon, na terceira Mneseas e Autóctonos, na quarta Elasipos e Mestor, na quinta Azaés e Diaprepes.

Da mesma maneira como o nome de Gádiros foi traduzido para o grego como Eumelos, não seria de estranhar que outro de seus irmãos tivesse seu nome traduzido para Enaque.

O fato é que a existência de gigantes filhos de uma descendência, determina uma similaridade com o que existia nos pergaminhos entregues à Platão.

esqueleto humano encontrado no Equador

Não bastassem estas evidências históricas em relatos bíblicos difundidos por todo o mundo, temos ainda um gigante fossilizado que foi encontrado em atividades mineralógicas no município de Antrim na Irlanda, tendo sido divulgado em uma publicação da revista Strand na época, em 1895. O fato de ser encontrado no Continente europeu contribui para elucidar este tema porque as referências à cerca da existência de gigantes é como vimos algo que não é exclusivo das sociedades mediterrâneas.

O gigante fossilizado abaixo tinha altura total de 3.70 m, circunferência do tórax de 1.97 m, comprimento dos braços em 1.37 m, e tinha o peso de 2 toneladas. Quem o fotografou percebeu também que o gigante tinha uma deformação física, pois seu pé direito continha seis dedos. Se estivesse como algo próprio de seu organismo, ou parte de sua natureza, o outro pé também teria a mesma condição, mas isso não ocorreu. Deste modo, este detalhe apenas orienta para uma aberração física própria de seu corpo e não uma normalidade mesmo para ele enquanto gigante.

Curiosamente nem os seus proprietários, nem o gigante foram mencionados posteriormente.

Se isso tudo estivesse isolado, teríamos de considerar como mera suposição ou fato isolado a ser pesquisado como um fenômeno anormal ou uma anormalidade induzida em laboratório, mas os trabalhos de laboratório com avanço tecnológico e especializações no campo da genética são extremamente recentes. Para complicar a situação dos gigantes que teriam existido na Terra, ainda temos uma foto obtida em escavações e pesquisas arqueológicas realizadas na região de Cleveland nos EUA, onde uma pegada fossilizada de um gigante foi encontrada. Esta pegada apresenta a ausência de um dos dedos do pé direito. Sendo assim, as anomalias registradas com a presença de um dedo a mais ou a menos poderiam ser consideradas como parte de uma anormalidade genética que conduziria à formação de gigantes?

Segundo a narrativa egípcia sobre o povo de Atlântida, a miscigenação entre os denominados "filhos de DEUS" e as filhas dos homens foi causa principal para a geração de Cíclopes, seres gigantescos maiores ainda do que os gigantes da descendência divina. Uma alteração física como a presença ou ausência de um dedo do pé, por mais simplório que possa parecer, pode na verdade ser um fator preponderante para elucidar a miscigenação como algo incompleto na estruturação genética e que proporcionaria aberrações como estas, ocasionando alterações no gene em que os pés poderiam ser deformados.

Pegada de um gigante em Cleveland-EUA

 

No deserto da Arábia Saudita, uma empresa que explorava gás natural realizou escavações no chamado Quadrante Vazio, ou em árabe 'Rab-Ul-Khalee'. Acabaram obrigados a interromper as escavações quando uma inesperada descoberta arqueológica foi feita no local, um esqueleto humanóide, sim, porque apesar de sua apresentação similar ao ser humano, não pode ser considerado exatamente como tal devido à sua condição física, ele é descomunal, gigantesco. Só o seu crânio tem a altura equivalente à de um ser humano de estatura mediana. A empresa temendo pelo impedimento dos trabalhos solicitou ao governo o impedimento do acesso, tornando a entrada exclusiva para funcionários da Aramco. Todo o trabalho passou a ser realizado em segredo, mas um um helicóptero militar sobrevoou o local e realizou manobras de reconhecimento e tirou alguns retratos, entre eles o que segue abaixo e que foi largamente divulgado na internet em todo o mundo.

Percebam que da maneira como está apresentado a simples existência confere com muita proximidade ao relato bíblico em que os batedores enviados às terras de Canaã, teriam se comparado aos gigantes como gafanhotos em relação à grandiosidade da estrutura corpórea dos gigantes. Este fóssil descoberto na Arábia Saudita permite muitas conclusões que confeririam com os relatos bíblicos, porque a região em que se encontra é próxima ao território para o qual foram direcionados os descendentes de Israel saídos do Egito. Não quero aqui fazer qualquer alusão ou defender os relatos, mas a comparação e a concordância ficam inquestionáveis.

Esqueleto de um gigante encontrado na Arábia Saudita