Make your own free website on Tripod.com
Desliens

Desliens 1567

Da maneira como está definido neste trabalho cartográfico, as apresentações da América do Sul, da Terra do Fogo com a fronteira demarcada da Antártida, ilhas do Oceano Índico e a Austrália, permitem reforçar as interpretações mencionadas de que mapas antigos tenham circulado no território europeu no passado (ver Personagens-Colombo).

Contudo existem detalhes definidos neste mapa que causam inquietação como a referência de um imenso rio cortando o território africano e que já foi apresentado em mapas anteriores.

Sendo assim, o que conhecemos atualmente como rio Nilo, no passado não muito distante (em menos de dois mil anos, teria sido um rio que estaria ligado a outros dois muito maiores que seriam alimentados por afluentes e rios tributários desde o Sul do continente provindo de um lado das terras da Namíbia e passando por Angola, por outro vindo de Zimbábue e passando por Zambia, para se encontrarem nas terras do Congo e seguir até a divisa entre a República Central Africana e o Sudão, onde se dividia seguindo por uma direção ao Norte como a seqüência que daria origem ao atual rio Nilo seguindo pelo Egito até o Mar Mediterrâneo passando pela cidade do Cairo, e por outra rumo ao Oeste passando pelo Chad, Níger e Mali, regiões onde percebem a alimentação por outros afluentes nestas regiões e terminava no Oceano Atlântico na região de Serra Leoa.

Não existem estas condições neste continente, porém a apresentação permite que compreendamos a existência de povos onde hoje é o atual deserto do Saara.

Regiões como a ilha de Madagascár, a Índia e as Coréias estão bem definidas neste mapeamento e se aproximam da real condição geográfica, tanto quanto a posição da Austrália e a parte da Antártida na extremidade sul das Américas.

Quando sabemos que a Antártida só viria a ser registrada nos anos de 1820, temos de admitir que este trabalho que antecede a "descoberta" em pelo menos 250 anos, só poderia ter sido um resultado de mapas anteriores.

VOLTAR